23 de maio de 2014

Nem os deuses estão a salvo!

Ainda no meio do ano passado, quando oficializaram as novas siticoms para a temporada 2013-14, quatro séries se destacaram, todas pelo mesmo motivo: o retorno/chegada de grandes estrelas para a TV. Não é de hoje que isso acontece, mas com a força cada vez maior das séries pela globalização e a rapidez de informação, os canais gastam cada vez mais, investindo em nomes de peso, tanto para o elenco, quanto para a equipe. Três das novas foram exibidas pela CBS, a gigante norte-americana. Mom, que tinha como chamariz Anna Faris e criada pelo queridinho Chuck Lorre, The Crazy Ones, que tinha o grande retorno de Robin Williams e Sarah Michelle Gellar e The Millers criada pelo novo queridinho Greg Garcia e estrelada por Will Arnet. Do lado da um pouco menor NBC, o grande chamariz era The Michael J Fox Show. Essa eu nem preciso dizer com quem era, não é?


Se você leu com atenção, percebeu que TMJF Show e Crazy Ones, eram os grandes nomes da nova temporada e foi justamente elas que caíram. As duas entraram na grade de quinta-feira, que é justamente o "dia das sitcoms" por lá, com Two and a Half Men e The Big Bang Theory reinando soberanas há anos. Elas estrearam em 26/09/13 com 7.5 milhões de espectadores para Michael J Fox e 15.52 milhões para Crazy Ones. Para comparar com as gigantes, a estreia da nova temporada de The Big Bang teve 18.99 milhões de audiência. Apesar da estreia razoavelmente fraca, ambas as séries demonstraram qualidades e se mantiveram na programação. O problema começou a vir depois. A audiência das duas não parava de cair. A primeira a sentir esse golpe foi TMJF Show, que foi retirada da programação no episódio 15, uma semana após ter chegado a fraquíssimos 1.99 milhões. Confesso que gostava da série. Ela apresentava características de sitcoms familiares clássicas, com personagens interessantes, bons atores, Nova York como pano de fundo e claro, Michael J Fox pra deixar você feliz! Infelizmente, os números falaram - muito! - mais alto e a série acabou morrendo. Exceto pro pessoal da Austrália, que pode ver todos os episódios - globalização, não lembra?! rs. Com isso, a NBC conseguiu um marco nada bom: pelo segundo ano consecutivo teve séries com "grandes retornos" que foram canceladas. No ano anterior, a boa Go On, estrelada por Matthew Perry (Chandler de Friends) também foi cancelada. A série era muito boa, tinha um elenco secundário excelente e também não caiu nas graças da audiência.


The Crazy Ones foi um caso à parte. Ela teve sua temporada completa e foi só na reta final que sua audiência caiu. Até a pausa de final de ano, a série tinha uma média razoavelmente baixa - Uns 8 milhões - mas ainda tinha esperanças. O retorno foi bom  e a série até parecia que ia pegar um embalo, mas, infelizmente, o final foi triste, com 5.23, o ponto mais baixo da temporada. Com um orçamento NADA barato (imagina o salário do Robin Williams e da Sarah Michelle Gellar) e com a audiência indo embora a cada episódio, a CBS não teve outra escolha senão cortá-la da sua programação. Essa era outra série interessante, com um bom elenco secundário, histórias interessantes e uma proposta razoavelmente simples, ou seja, a série tinha tudo para dar certo. Infelizmente, não foi o caso.


Mom foi escalada para as segundas, junto com Mike e Molly e 2 Broke Girls e, não só segurou a audiência, como conseguiu melhorá-la após o piloto, algo bem difícil para o mundo das séries. Na estréia teve 7.99 e, durante a temporada, chegou a 9.58, fechando a temporada com uma boa média de público. Sinceramente, essa era a série mais fraca de todas. Os episódios dependem muito de Anna Faris, enquanto a sua mãe, interpretada por Allison Janney, é a personagem mais interessante da casa. O filho Roscoe aparece muito menos do que deveria e o relacionamento relâmpago da personagem principal com Justin Long - o ápice da temporada - foi cortado de forma boba e sem graça. A série tem aquela cara de enlatada por Chuck Lorre e não oferece grandes risadas para o público, mas foi renovada e a gente pode torcer por uma melhora.


The Millers era o patinho feio das grandes. Mesmo com Will Arnett (Gob de Arrested Development) como estrela e escrita por Greg Garcia (Ex My Name Is Earl Rasing Hope), a série perdia no chamariz das outras e, por isso mesmo, foi escalada para estrear depois. O elenco é incrível, só com caras conhecidas e boas como J.B. Smoove (Curb Your Enthusiasm), Beau Bridges (24 horas), Jayma Mays (Glee) e Margo Martindale (Justified), a série se consolidou com uma média de 10.5 milhões de espectadores por episódio e foi renovada. Infelizmente, mesmo com todos esses grandes nomes, a série não é tão boa assim. A relação disfuncional do personagem principal (Arnett) com sua mãe (Martindale), apesar de ser interessante, acaba sendo usada de forma excessiva, a ponto de cansar o espectador, que já espera o resultado final. Os outros personagens acabam ficando em segundo plano - ou terceiro, quarto ou até esquecidos, como a menina Mikayla, que trocaram a atriz e eu só percebi uns episódios depois com um "quem é essa garota mesmo?!" - quando poderiam ser muito melhor aproveitados.

Agora é esperar. As quedas de The Michael J Fox Show e The Crazy Ones não eram nem de perto esperadas pelos executivos, que terão que coçar muito a cabeça - e os bolsos - para trazer novos produtos para seus canais. Só lá para julho as novas séries serão apresentadas e poderemos saber qual será a nova cartada da NBC para tentar voltar ao topo e qual será a série nova escalada da CBS para dividir as quintas com The Big Bang Theory,The Millers e Two and a Half Men, que fará a sua última temporada. Será que Charlie Sheen aparece pra dar um alô?!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...